EMPRESAS

As Empresas que Mais Promovem as Mulheres no Brasil


A falta de políticas de diversidade e igualdade de gênero nas empresas não representam somente um acirramento dos conflitos sociais já existentes no país. A ausência de mulheres na liderança gera menos debate, menos inovação e diminui a qualidade das tomadas de decisões.


Mulheres na liderança: Paula Bellizia (acima) é CEO da Microsoft no Brasil.

Uma pesquisa recente (International Business Report (IBR) – Women in Business 2019) revelou que, hoje, as mulheres ocupam cerca de 25% do universo total dos cargos de liderança, mais do que 50% em relação aos últimos dois anos, um aumento sutil, porém expressivo.

Se considerarmos setores e cargos ocupados, as diferenças se tornam ainda mais acirradas. O setor de RH é o que apresenta mais mulheres na liderança (34%), mais do que o dobro dos que os setores operacionais. Além disso, somente 5% do total dos cargos VP e CEO são ocupados por mulheres.

Mulheres na liderança: as Vice-Presidentes da Coca-Cola Brasil, Raissa Lumack, Claudia Lorenzo e Adriana Knackfuss (foto: Leo Aversa)

Embora bastante relevante, a pesquisa acima não menciona a participação das empresas na promoção de práticas de igualdade de gênero, o que poderia servir de orientação tanto para empresárias quanto para consumidores mais engajados.

Porém, em 2017, a Revista Exame, em parceria com ONG Mulheres na Liderança na America Latina (WILL), elaborou uma lista com as melhores empresas na promoção da igualdade de gênero a partir de suas políticas e processos de trabalho.

Desde então, o Guia Exame de Mulheres na Liderança tem servido como parâmetro para sabermos quais as empresas brasileiras que mais promovem as mulheres. Fizemos a nossa lista da semana das mães com base nele.

1. BELEZA NATURAL

A empresa de cosméticos brasileira fundada pela empresária Yasmin Abdalla é um case único, pois o simples posicionamento de sua marca fez dela um exemplo de diversidade e promoção de mulheres na liderança. Hoje, 70% de suas colaboradoras são mulheres negras embora não haja nenhuma política ou prática específica de empoderamento feminina.

Acima, Yasmin Abdalla.

2. ARENALES HOMEOPATIA ANIMAL

Empresa pioneira no segmento de homeopatia veterinária no Brasil, que iniciou suas atividades em 2000, sob liderança de Maria do Carmo Arenales. Se destaca por suas práticas e políticas para promover a equidade de gênero e também pela presença de mulheres na liderança em cargos estratégicos.

Maria do Carmo Arenales é a fundadora da empresa Arenales Homeopatia Animal.

3. COCA-COLA BRASIL

Das grandes multinacionais que atuam no Brasil, a Coca-Cola é a que mais se destaca em políticas de promoção de igualdade de gênero, especialmente no tocante à atuação externa com campanhas e práticas de relacionamento com stakeholders. A gigante também se destaca no Brasil pela presença de mulheres na liderança em cargos de diretoria e vice-presidência (como vimos acima).

Coca-Cola Brasil: Um caminho aberto para mulheres na liderança.

4. JOHNSON & JOHNSON

Dentre as empresas multinacionais que atuam no Brasil, a Johnson e Johnson esta entre as que mais estimulam a liderança feminina. A empresa é uma das fundadoras do Movimento Mulher 360 e é exemplo no desenvolvimento e retenção de mulheres na liderança, o que tem gerado bastante resultado.

Duda Kertész é a presidente da divisão internacional da J&J (foto: Paulo Vitale)

5. BTA

A Betânia Tanure e Associados é uma empresa de consultoria em gestão de equipes e lideranças. Com foco em sustentabilidade, o propósito da BTA é ajudar a construir organizações melhores para a sociedade. A transformação social esta no DNA da empresa.

Acima, Betânia Tanure, fundadora da BTA.

6. SCHNEIDER ELECTRIC

De todas as multinacionais que atuam no Brasil, a francesa Schneider é a que mais se destaca pelas políticas e práticas de promoção de mulheres na liderança. Isso acontece tanto externamente, com engajamento de stakeholders, quanto internamente com o estímulo a liderança feminina, combate à discriminação e monitoramento de equidade. Em 2019, a multinacional zerou as diferenças salariais entre homens e mulheres nos mesmos cargos.

7. ERNST & YOUNG

A EY é uma das dez maiores empresas de serviços profissionais do mundo. No Brasil, ela possui o programa EY Entrepreneurial Winning Women Brasil que tem, dentre vários objetivos, o de fortalecer habilidades de liderança e identificar oportunidades de crescimento para mulheres empreendedoras. O programa disponibiliza um time de conselheiras notáveis da EY, todas mulheres. Além disso, em 2017, a empresa recebeu um prêmio de Melhor Empresa de Consultoria em Liderança Feminina entregue pela Revista Exame no Fórum Mulheres na Liderança.

Acima, o CEO da E&Y, Luiz Sérgio Vieira recebendo o prêmio.

8. AVON

Quem ainda não viu uma campanha da Avon promovendo o empoderamento feminino e combate à violência doméstica não deve morar no mesmo planeta. Mas e quanto às práticas da empresa? Sim, a Avon também se destaca pelas políticas internas de estímulo às mulheres na liderança. Dentro da organização, há uma vice-presidência global que realiza auditorias para assegurar a igualdade salarial e a representatividade em cada setor.

Acima, entrevista com Daniela Grelin, Diretora Executiva do Instituto Avon.

9. GRUPO INPRESS

O Grupo In Press, associado ao Grupo Omnicom​/DAS​, é formado por empresas líderes em comunicação ​corporativa e relações públicas. Dentre as empresas de pequeno a médio porta, o grupo se destaca pela presença de mulheres na liderança em cargos estratégicos.

Acima, Kiki Moretti, Diretora e CEO do Grupo InPress

10. ACCENTURE

Sendo uma das multinacionais que se destacam no Brasil pelas políticas de igualdade de gênero, a Accenture se comprometeu a agregar uma força de trabalho 50% feminina até 2025. Além disso a empresa quer ampliar a porcentagem global de diretoras executivas para 25%, até 2020.

Acima, Beatriz Sairfai, VP de RH na Accenture, recebe o prêmio Mulheres na Liderança da Revista Exame.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *