NO MUNDO

As Cidades Sustentáveis que Servem de Exemplo para o Mundo


Estima-se que até 2050 dois terços da população mundial estará vivendo em centros urbanos. É com esse olhar para o futuro que a eficiência dos bens e serviços será um fator cada vez mais fundamental para o bem estar social e ambiental na construção de cidades sustentáveis no mundo todo.

Acima, a visão ideal de uma cidade sustentável: a natureza convivendo com as criações humanas.

 

Por esse motivo, a arquitetura dos espaços urbanos, as construções, o uso da tecnologia, dos meios de transporte e dos demais serviços essenciais e não essenciais devem buscar atender a um propósito social no sentido assegurar sua acessibilidade e ambiental no sentido de otimizar o consumo de energia, de água potável e de recursos naturais.

De acordo com a Arcadis, empresa global especializada em consultoria para engenharia e gestão de projetos urbanos, as cidades sustentáveis no mundo hoje são avaliadas de acordo com três alicerces: social, ambiental e também econômico, que diz respeito às possibilidades de se abrir negócios bem sucedidos na cidade.

 

Cada vez mais comuns em centros urbanos no mundo todo, as ciclovias são hoje investimentos fundamentais para a construção de cidades sustentáveis.

 

Com base nesses alicerces a Arcadis publica anualmente um ranking apresentando as dez cidades mais sustentáveis no mundo. Em 2018, são elas:

 

1. LONDRES

De todas as cidades, a capital inglesa é a que melhor equilibra seu desenvolvimento sob os três aspectos (social, ambiental e econômico). Não é de hoje que a cidade tem procurado reduzir suas taxas de emissão de gases de efeito estufa e aumentar os espaços verdes. Com seus famosos ônibus de baixa emissão de CO2 e mais de 35 mil hectares de espaços verdes, a cidade almeja ser carbon-free até 2050. Isso somado à facilidade de se investir e fazer negócios na cidade e à qualidade dos serviços públicos oferecidos  (especialmente educação e saúde) torna Londres a primeira do ranking de cidades sustentáveis no mundo.

Acima, o clássico ônibus londrino de baixa emissão de GEE.

 

 

2. ESTOCOLMO

A capital sueca entra na lista de cidades sustentáveis graças a iniciativas como a transformação de Hammarby Sjöstad, antiga área industrial que, hoje, é o primeiro distrito ecológico de Estocolmo, com circuitos fechados de água, resíduos e energia. É uma cidade que combina prosperidade econômica e ambiental, sendo hoje a mais verde de toda União Européia.

Acima, Hammarby Sjöstad, antiga área industrial de Estocolmo

 

 

 

3. EDIMBURGO

A cidade foi decretada Patrimônio Mundial da UNESCO em 1995. A partir da perspectiva do seu planejamento, Edimburgo é considerada mais “européia” do que “britânica”, devido à sua elevada densidade habitacional, com muitos blocos de apartamentos no centro da cidade. Como não se pode mexer na estrutura urbana, foi necessário um trabalho rigoroso de mobilidade, que contribui para Edimburgo manter níveis relativamente baixos da utilização de veículos, e de níveis maiores de transportes por ônibus, a pé e por bicicleta. Além disso, 49,2% da cidade é coberta por espaços verdes preservados o que faz desta cidade a terceira do ranking de cidades mais sustentáveis no mundo.

A cidade de Edimburgo foi decretada Patrimônio Mundial da UNESCO em 1995

 

 

4. SINGAPURA

Possui mais de 7 mil habitantes por metro quadrado e 29,3% de arborização em seu território. Não à toa fica em 4º lugar da lista de cidades mais sustentáveis do mundo. O atual governo desenvolveu um plano de mobilidade que penaliza cada vez mais o uso de carro próprio e promove o transporte público e compartilhado. Além disso, a cidade tem uma versão única e muito diferenciada de auxílio-moradia que consiste em uma espécie de concessão do governo que dura 99 anos e hoje abriga grande parte da população da cidade (cerca de 85%) atendendo a famílias de várias classes econômicas.

Acima, uma das praças em Singapura onde os habitantes tem o costume de soltar pipas

 

5. VIENA

Não é a primeira vez que Viena ocupa o topo do ranking de cidades sustentáveis. Isso acontece principalmente por sua segurança, baixo preço de moradias e bom funcionamento do transporte público. Também vale destacar o projeto Smart City Vienna, que tem por objetivo alcançar uma cidade com zero emissão e autossuficiência de energia até 2050.

Acima, Viena vista do alto

 

 

6. ZURIQUE

Foi em Zurique que nasceu o conceito de “sociedade de 2.000 watts per capita” o objetivo definido para 2050, um desafio em termos de economia de energia. Além disso, sua rede de transporte público é um exemplo a ser seguido, sendo altamente eficiente e sustentável com o famoso sistema de bondes que atendem a cidade inteira e são movidos à energia elétrica.

Acima, o “tran” de Zurique movido a energia elétrica

 

 

7. MUNIQUE

É simplesmente a terceira cidade com a melhor qualidade de vida do mundo. Isso se dá por conta do baixíssimo índice de criminalidade e os excelentes serviços públicos como o super eficiente sistema de transporte público que é também integrado e de baixo consumo energético. Além disso, é o centro econômico do sul da Alemanha e possui a menor taxa de desemprego do país e de toda União Européia!

Munique é atualmente a cidade mais próspera da Alemanha e a terceira no índice de qualidade de vida

 

 

8. OSLO

A capital norueguesa está trabalhando para neutralizar suas emissões de GEE (gases de efeito estufa) até 2030 e se tornar também uma zona “livre de carros”, isto é, um paraíso para os ciclistas. Quase metade da cidade (242 km2) é composta por zonas verdes preservadas e no entorno de seu aeroporto, o governo planeja construir uma cidade inteiramente sustentável a partir de 2019, a Oslo Airport City, que terá parques públicos, espaços recreativos, hotéis, centros de convenções e muito mais.

Acima, o projeto Oslo Airport City

 

 

9. SEOUL

A segunda cidade não européia do ranking de cidades sustentáveis, a capital da Coréia do Sul atingiu este patamar graças a programas como o Plano Seoul 2030, que inclui políticas de planejamento para eliminar a discriminação, facilitar o acesso ao emprego e melhorar a mobilidade. Somando a isso, seus governantes estão realizando projetos interessantes para a cidade, tais como a restauração de rios e seus arredores, que deixaram de ser áreas com alta taxa de poluição para se tornarem locais de lazer e recreação.

Acima, um parque construído no local de um prédio, em meio a cidade de Seoul. 

 

 

10. FRANKFURT

Conhecido como o maior centro financeiro da Alemanha e um dos maiores da Europa, Frankfurt, nos últimos 25 anos, estabeleceu sua própria agência para gestão energética e é um membro fundador da Alliance Climate European Cities, prometendo reduzir suas emissões de dióxido de carbono em 10% a cada ano, o que significa que alcançará uma redução de 50% nas emissões até 2030. Este é um número extremamente considerável se compararmos o tamanho da cidade com as demais do ranking. Além disso, através do Plano Ecoprofit, a cidade oferece às empresas livre acesso à sistemas de gerenciamento de impactos ambientais, reduzindo seus custos operacionais. 

Frankfurt possui hoje uma população de cerca de 2.3 milhões de habitantes

 

 

Para acessar o ranking completo da Arcadis, clique aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *