ENTRETENIMENTO

10 Filmes que Desafiam Estereótipos de Gênero


Com a 91a edição dos Academy Awards se aproximando, iniciam-se os debates acerca da importância da representatividade no cinema e nas demais artes de modo geral. Com isso, constatamos que infelizmente ainda é necessário mostrar porque é importante que mulheres, negros e LGBTs sejam representados.

Acima, o ator Rami Malek interpreta Freddie Mercury no filme Bohemian Rhapsody em uma das performances favoritas ao Oscar de Melhor Ator em 2019.

O cinema não é apenas uma atividade econômica, mas uma economia criativa, que traz benefícios à economia, porque gera empregos, e também à cultura, pois reproduz o conjunto de pensamentos, o tempo e o lugar de onde ele sai. O cinema é a leitura daquele tempo, do nosso tempo.

Vivemos em um momento muito confuso e distinto da nossa história, onde a presença do debate sobre determinados paradigmas é mais do que necessária, é essencial. Há muito que não se vê tanta violência cometida contra mulheres, negros, gays e transgêneros, não só no Brasil, mas no mundo inteiro.

Acima Brandon Teena, rapaz transgênero assassinado há 25 anos atrás. Sua vida inspirou o filme premiado mundialmente Boys Don’t Cry

É como se tivéssemos voltado aos tempos de Brandon Teena, só que nunca voltamos porque nunca saímos do lugar. O preconceito sempre existiu, talvez ele só estivesse camuflado, esperando uma oportunidade para “sair do armário”, se manifestar publicamente, violentamente, sem pudor.

Por esse motivo, a partir de hoje, decidimos que vamos listar periodicamente os filmes que desafiam estereótipos socioculturais e propõem uma reflexão sobre como é fazer parte de um grupo social marginalizado.

Hoje, vamos listar 10 filmes que questionam os estereótipos de gênero.

1. A GAROTA DINAMARQUESA

O filme conta a história da artista Lili Elbe, sua carreira, seu casamento e seus dramas pessoais. Casada com Gerda Wegener, Lili é hoje considerada a primeira transgênero, uma vez que foi a primeira pessoa a realizar cirurgia de redesignação de sexo.

2. CAROL

Therese Belivet trabalha em uma loja de departamentos. Certo dia, ela conhece Carol, uma elegante e misteriosa cliente. Rapidamente, as duas mulheres desenvolvem um vínculo amoroso que acaba por ter consequências sérias.

3. LAURENCE ANYWAYS

Laurence Anyways é uma história de amor entre um homem e uma mulher depois que ele decide realizar uma mudança de sexo. Enfrentando muitas dificuldades e preconceito, eles decidem continuar o seu relacionamento.

4. O CLUBE DE COMPRAS DE DALLAS

O filme retrata a história baseada em fatos reais do eletricista texano Ron Woodroof. Na década de 80, após ser diagnosticado com o HIV, ele entra em uma briga contra a indústria farmacêutica por procurar soluções alternativas ao tratamento que era oferecido na época.

5. TOMBOY

No filme Tomboy, Laurie, uma menina de 10 anos com dificuldades de se relacionar com outras crianças, se faz passar por garoto para conseguir fazer amizade , mas sua aproximação com a amiga Lisa acaba gerando uma crise de identidade.

6. HOJE EU QUERO VOLTAR SOZINHO

O longa brasileiro conta a história de Leonardo, um adolescente cuja vida muda completamente quando um novo aluno entra no seu colégio. O rapaz precisa lidar com o ciúme da amiga e também com os inesperados sentimentos que o recém-chegado desperta nele.

8. MENINOS NÃO CHORAM

O filme conta história da vida de Brandon Teena, rapaz transgênero assassinado à mais de 25 anos atrás. Ele começa um caso de amor com uma mãe solteira da zona rural de Nebraska e sofre violentas consequências como resultado da descoberta de sua transexualidade.

9. TRANSAMÉRICA

A personagem Bree, interpretada pela atriz vencedora do Oscar pelo papel, Felicity Huffman, é uma transexual que conseguiu juntar dinheiro para fazer a cirurgia de redesignação de sexo. Porém, certo dia ela recebe um telefonema de um jovem que esta preso e que está à procura do pai.

10. MILK, A VOZ DA IGUALDADE

O filme conta a história de Harvey Milk, um dos maiores ícones da luta pelos direitos LGBT’s no Estados Unidos. Sua jornada começa desde o começo da sua militância até 1977, quando é eleito para o Quadro de Supervisor da cidade de São Francisco, tornando-se o primeiro gay assumido a alcançar um cargo público de importância no país.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *